Moro na Amazônia, quais cobras eu tenho que conhecer?

As principais serpentes perigosas da região Amazônica são, principalmente, as jararacas, cascavéis, surucucu e as corais-verdadeiras.

  • Esses quatro nomes englobam cerca de 75 espécies e 6 gêneros de serpentes peçonhentas existentes no Brasil.

  • Sob um olhar mais aprofundado, há duas grandes famílias que predominam, quando se refere ao ofidismo (acidente com serpentes), no Brasil, família Viperidae e família Elapidae.

  • A primeira família, engloba 36 espécies e 4 gêneros diferentes: os gêneros Bothrops e Bothrocophias (popularmente conhecidas como jararacas), Crotalus (cascavéis) e Lachesis (surucucu).

  • Já a segunda família citada, inclui 39 espécies e 2 gêneros, Micrurus e Leptomicrurus, conhecidas como corais verdadeiras.

  • Porém, os acidentes com as jararacas são, definitivamente, os mais frequentes em qualquer bioma brasileiro: cerca de 87% de todos os casos.
  • Alguns exemplos das espécies citadas:

1. Família Viperidae– Gênero Bothrops (jararacas):

  • São animais com tamanho pequeno a grande porte, até cerca de 2 metros.
  • Podem ser encontradas desde florestas primárias, áreas de plantio e até zona urbana.
  • Grande parte das espécies apresentam hábitos terrícolas ou semi-terrícolas, isto é, o micro-habitat onde essas serpentes procuram seu alimento pode ser tanto no solo, como em árvores.

2. Família Viperidae– Gênero Crotalus (cascavéis):

  • Esse gênero engloba 6 espécies de serpentes e são famosas pelo chocalho na ponta da cauda. Têm tamanho médio a grande porte (até 2m).
  • Estão presentes em cerrados, campos abertos, caatinga, restingas, pastagens e matas secundárias. Dessa forma, não são comuns em florestas densas e fechadas.
  •  A espécie apresenta hábitos terrícolas e período de atividade noturno e/ou crepuscular.

3. Família Viperidae- Gênero Lachesis (surucucu):

  • Este gênero apresenta somente uma espécie em todo território nacional: Lachesis muta, popularmente, conhecida como surucucu.
  • Tem tamanho de médio a longo porte (até 4m), sendo considerada a maior serpente peçonhenta da América.
  • Tem uma apresentação física típica: duas cores, o amarelo, que pode ter tons rosados ou alaranjados como cor de fundo, e o preto, formando losangos que descem da região vertebral e vão se afinando até à região para ventral, com as escamas dorsais pontudas lembrando “picos de jaca”-outro apelido dado a essa serpente.
  • Ocorrem em florestas primárias. 
  • A espécie apresenta hábitos terrícolas e período de atividade noturno e/ou crepuscular, segundo o livro Animais Peçonhentos no Brasil (2009). 

4. Família Elapidae– Gênero Micrurus (corais-verdadeiras):

  • São 39 espécies com dois gêneros: Micrurus Leptomicrurus.
  • São consideradas as serpentes mais venenosas do Brasil.
  • Estão em florestas primárias e também em áreas alteradas, incluindo registros de algumas espécies em áreas urbanas.
  • É importante ressaltar que, para uma pessoa leiga e sem experiências com serpentes, distinguir corais-falsas e corais-verdadeiras é um trabalho difícil. Dessa forma, a recomendação é a mesma para as demais serpentes, não se aproximar caso as encontre na natureza.

Gostou?

Share on facebook
Compartilhe no Facebook
Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp

Escreva seu comentário